Estresse: sindrome silenciosa que provoca obesidade, depressão e câncer


Um dos principais fatores de aumento de peso é o estresse. Inimigo invisível e constante na vida da maioria das pessoas. Ademais, essa alteração no estado psicológico causa irritabilidade, ansiedade e, mais fome.

O equilíbrio entre uma alimentação saudável e o estado mental e psicológico é fundamental para a perda e a manutenção do peso. Bem como, para se ter maior qualidade de vida e viver de forma saudável.

A saber, estudos científicos comprovam que o desequilíbrio psicológico, por exemplo, afeta diretamente o consumo de alimentos. Portanto, com maior ingestão, maiores as chances do acúmulo e de sobrepeso.

Em palavras bem simples para vocês entenderem: tudo precisa estar em perfeita sintonia. Ou seja, as emoções precisam estar bem com o corpo, que por sua vez deve estar bem com o psicológico e tudo junto precisa ser funcional e saudável.

Se uma dessas funções não funciona corretamente, vai ocorrer sobre carga, gerando crises estressantes. No único, é tudo controlável, mas com o tempo as crises vão ficando cada vez mais intensas.


Outrossim, sem perceber, vai comprometendo outras funções do organismo, quando nos damos conta, a depressão já se alojou dentro da gente!

Conhecendo mais sobre o estresse

O estresse se manifesta de muitas formas, desde a mais sutil até a mais agressiva. Em geral, a pessoa estressada não nota seus sintomas, e sim, quem está ao seu redor. Visto, que o comportamento se altera e a capacidade de lidar com as situações cotidianas diminui.

Motivos não faltam para o estresse em nosso dia a dia: excesso de atividades, prazos apertados, problemas financeiros e familiares, compromissos e falta de tempo. A lista é infinita. Diante desse quadro, muitas pessoas acabam ficando ansiosas e essa ansiedade, em grande parte dos casos, leva à compulsão alimentar.

A saber, comer é uma atividade que além do caráter nutricional, gera prazer e saciedade. Ingerir generosas porções da comida predileta funciona como um paliativo para os quadros de ansiedade e nervosismo. Isso porque, o cérebro entende a refeição como uma recompensa para um dia agitado ou um momento de grande estresse.

Essa compensação fora de hora, quase que inevitavelmente, vai resultar em um desequilíbrio entre as calorias consumidas e as gastas. Portanto, leva ao acúmulo de gordura. Então, nessa lógica, é possível afirmar que o estresse engorda!


Vocês já observaram que 99% das pessoas obesas são extremamente estressadas e sofrem de ansiedade? Isso sem contar as que sofrem de depressão. Portanto, é quase impossível dissociar uma doença da outra, de certa forma, ambas são irmãs e caminham juntas!

Estresse

Apetite emocional

Um termo muito comum entre os estudiosos dos distúrbios alimentares, é o apetite emocional. Bem como, aquele gerado não por uma necessidade fisiológica, mas sim por fatores psicológicos. A saber, o estresse é um desses motivos que aumenta o apetite emocional.

Portanto, de nada adiantam as dietas e as regras de reeducação alimentar se a pessoa não aprender a controlar seus níveis de estresse e de ansiedade. Mas como controlar o estresse? Como se policiar para não compensar as angústias diárias com refeições fora de hora, doces e guloseimas?

Aprenda a gerir o estresse

Agora que já sabemos que o estresse engorda, é hora de aprender a lidar com ele. Antes de tudo, é preciso saber que é quase impossível fazer com que ele desapareça. Portanto, o caminho está em gerir o estresse, ou seja, aprender a controlá-lo e assim, evitar as compensações. Vejamos algumas dicas:

  • Organização – grande parte da sua falta de tempo é causada pela falta de organização. Tentar fazer tudo ao mesmo tempo agora gera mais ansiedade e mais estresse. Então, organize seu dia, distribua as tarefas e procure cumprir todo seu cronograma diário.
  • Dê um tempo – no planejamento diário, reserve algumas brechas de tempo para o descanso mental. Ouça sua música predileta, assista um vídeo engraçado ou leia um bom livro. Abstrair-se do ambiente estressante durante alguns minutos, é fundamental para diminuir a ansiedade. Então, dê um tempo!
  • Evite o excesso de cobrança – na maior parte do tempo, somos nossos maiores inimigos. Por exemplo, impondo prazos e metas absurdas e impossíveis de serem alcançadas. Lembre-se de que o estresse engorda e é preciso mantê-lo sob controle. Portanto, reveja suas expectativas e as traga para um patamar aceitável e possível, sem exigir de você mais do que pode dar.
  • Movimente-se – a atividade física é, comprovadamente, uma grande aliada na luta contra o estresse. E não se trata de frequentar uma academia apenas, mas sim de colocar o corpo para trabalhar. Isso pode ser feito no ambiente de trabalho, subindo e descendo escadas, ou ainda caminhando pelo jardim.

Mente e corpo sã

Vimos aqui que a saúde mental é fundamental para que o nosso organismo funcione adequadamente. Tendo essa consciência e se buscarmos o equilíbrio, é possível diminuir os níveis de ansiedade e de estresse a assim, deixar de compensar os problemas com refeições fora de hora.

Essa busca é individual, e cada pessoa deve descobrir como amenizar os efeitos desse inimigo implacável que é o estresse. Ioga, meditação, respiração correta, leitura, música, passeios ao ar livre, não importa o método.

O que importa é que cada pessoa cuide mais de si mesma, mental e psicologicamente, pois isso irá afetar diretamente na qualidade de vida e na saúde física dessa pessoa, inclusive em seu peso.

Te convidamos a visitar nosso Instagram e nossa Página no Facebook… Se gostou, curta, compartilhe e nos ajude a divulgar conhecimento.


Deixe um comentário

error: Conteúdo Protegido!